Moda, beleza, atitude, alto astral: o blog que traz o lado bom, bonito, gostoso e divertido de ter 60 anos em pleno século 21!
Envelhecer é bacana!

Envelhecer é bacana!

Este blog é basicamente sobre moda com a intenção de passar às mulheres da minha faixa etária, o meu conhecimento sobre o assunto que por muitos anos permeou minha vida profissional.

Hoje, o assunto é outro. Oba! parece que envelhecer está na moda. Do alto dos meus 65 anos, este é um assunto que me (nos) interessa além dos posts de moda. Semana passada fui ao lançamento de uma campanha do Laboratório Pfizer cujo objetivo é discutir o envelhecimento na sociedade brasileira e, ao mesmo tempo, estimular os jovens a pensar desde já, na qualidade de vida pós 60 anos. A campanha, Get Old, é global, foi lançada nos Estados Unidos em 2012 e chega ao Brasil com o nome de Envelhecer sem Vergonha – qualidade de vida, não tem idade.Tudo isso tem a ver com o que a gente já sabe: maior expectativa de vida, uma população estimada de pessoas com mais de 60 anos, em 2025, acima de 32 milhões falando apenas de Brasil.

Sem dúvida, uma iniciativa louvável, necessária, com muitos elogios e expectativas, apesar d’eu não concordar com o mote da campanha: a comparação com os jovens. Acho que não temos nada a ver com os jovens.
São vários – mas não tantos assim – os senhores e senhoras que pulam de paraquedas, nadam 30 vezes a piscina olímpica, correm, fazem ioga e se dependuram do lustre aos 82 anos, mas… peraí … em geral, não somos assim. Nem nós, mulheres, somos aquelas exuberantes senhoras de 98 anos, novaiorquinas, cheias de maquiagem, roupas extravagantes e óculos enormes, que viraram ícones da modernidade sênior, exemplo de como pode, ou deve ser, a moda na velhice. Poupe-me. Nada contra, pelo contrário, mas não sou eu, e nem quero ser, aquela mulher. Compare as fotos masculinas com as femininas e entenda o que quero dizer.

2

1

3

* Veja a campanha que já está fazendo sucesso.
www.facebook.com/envelhecersemvergonha
www.facebook.com/envelhecersemvergonha/videos/1595717154023145/

* Não por acaso comecei a assistir Grace and Frankie, série da Netflix com Jane Fonda e Lily Tomlin. Ambas pelos 70, uma linda, chiquérrima, maravilhosa e a outra com cabelos grisalhos, desleixada, total hippie dos anos 60. Duas baitas, excelentes atrizes. Tragicômica, a série me mostra mais da natureza da velhice do que tenho visto sobre o assunto em geral. No começo resisti, achei que achei chato, mas percebi que é exatamente pelo fato de poder me espelhar que resisti. Socorro, medo. Bobagem, vamos lá. Insisti e estou adorando, refletindo e sentindo mais como é a velhice. Para o bem e para o mal. Talvez por isso ainda a mídia não tenha “assumido” a mulher mais velha “normal”. Talvez incomode ver na outra, o nosso próprio envelhecimento? Se for isso, não está na hora de enfrentar esse medo, esse incômodo?

GF_EP111_MM_110414_0222-0257_R_COMP_CROP1.JPG

2a

Lily Tomlin, Jane Fonda

* Você tem filhos, netos, família grande? Ouço muitos amigos falarem que não querem depender de ninguém. E então? Bem, eu nem tenho de quem depender e é preciso pensar nisso, não é mesmo? Alguém pensa? Vc já pensou?

Os velhos sempre me comoveram muito mais do que as crianças. Certa vez levei, junto com minha prima Ilka, tia Helena, irmã solteira de meu pai, a “baixinha”, como eu a chamava, para uma casa simples de idosos, aqui no Brooklin, bairro simpático de São Paulo. Era o que podíamos financeiramente oferecer. Fiquei em choque, não pude suportar tanta solidão e tristeza. Esse sentimento ficou na memória e sem dúvida não é isso que desejo para mim nem para ninguém. Mesmo por que não tem como ser assim. A minha velhice – sem dúvida nenhuma – é totalmente diferente da dela. Em todos os sentidos: emocionalmente, fisicamente, financeiramente. Várias gerações nos separam e é aí que entram as discussões atuais: quem somos nós, os velhos dos anos 2000?

Como vamos viver a nossa velhice, nós, a geração que mudou o mundo? O que vamos deixar para esses peticos que já nascem com o dedinho na tela do Ipad? Como será a velhice deles? Como será a minha? A sua?

A convite da assessoria de imprensa fui visitar a SBC, Sociedade Beneficente Alemã, para pessoas idosas que fica no Butantã, bairro pacato aqui de São Paulo. O convite veio, é claro, por causa do blog. Mas… lá fui eu também com o meu não mais secreto desejo de ver como era. Quem sabe mais tarde…

Fiquei encantada. Esta semana a matéria estará no blog. Não perca.

 

 

Post por: Celia Pardi
Para quem não me conhece, sou Célia Pardi, jornalista, e venho falando com e sobre mulheres há mais de 35 anos. Trabalhei na Editora Abril como editora de moda e beleza e, depois, como diretora de redação das revistas CAPRICHO e CLAUDIA. Aquariana, nasci em 1º de fevereiro de 1950.

Compartilhe este post:Share on Facebook0Share on Google+0Email this to someoneShare on LinkedIn23Tweet about this on TwitterPin on Pinterest6

6 Respostas para Envelhecer é bacana!

  1. Cinira Verani disse:

    Celia você descreveu muito bem o que sinto ! Penso exatamente como você ! É porosos que sempre fui sua fã !
    Cinira

  2. Cinira Verani disse:

    Celia você descreveu muito bem o que sinto ! Penso exatamente como você ! É porisso que sempre fui sua fã !
    Cinira

  3. elizabeth rodrigues de matos disse:

    Acho interessante esse tema ão em moda como o viver com qualidade e sem medos,tem muito o que se pesquisar sobre esta materia, gostaria de acompanhar,continue,vou curtir.

  4. Jussara Christmann disse:

    Também sou jornalista, tenho 65 anos ,morei 4anos na Alemanha, e vejo a mulher brasileira absolutamente equivocada quando o assunto e envelhecer…sem noção e auto- crítica se vêem mesmo como meninas, usando roupas inadequadas e pensando que e possível ser sex e sedutoras com a ala masculina,que foge que nem o “diabo da cruz”… A ciência explica de forma bem simples que o envelhecimento traz uma perda hormonal importante, principalmente para as mulheres…plásticas, botou e toda está parafernália cosmética não resolve…o grande médico e cirurgião Miguel Srugy, para a velhice ainda não se descobriu a cura

  5. Carmen disse:

    Celia
    Tenho 67 anos também sou jornalista e penso que envelhecer não é fácil não.
    Moro no Rio e o grande comentário de amigas e conhecidas é falta de um lugar para envelhecermos. Já chegamos a pensar em um condomínio mas ficou só em pensamento.
    As mulheres de forma geral tem dificuldade em assumir a idade. Como se diz por aqui. Envelhecem louras…
    Eu assumi os meu brancos, acho legal…
    Mas bate a insegurança em relação ao futuro, cuidados médicos, enfermagem etc.
    Mas é isso que temos para hoje fazer o que ?

  6. Eu, acho lindo envelhecer, tenho 58 anos, logo estou com 60 anos, aí sim, vou me divertir, ter amigas, passear, fazer caminhadas, ir à igreja, etc…,não fiz nada disso, só trabalho chego em casa, comida para fazer, depois tomo banho, durmo e no dia seguinte a mesma coisa, então envelhecendo vou fazer o que antes não dava. A Célia falou que os idosos comovem mais que criança, ela tem toda razão, eu também acho isso. A criança tem os pais e muitos anos pela frente para ser feliz, e as pessoas idosas precisam muito de carisma, e tem algum lugar que não acha. Portanto não vejo a hora de fazer 60 anos e poder participar da minha turma idosa.

Deixe um comentário